terça-feira, 18 de outubro de 2016

Decisões tardias. Decisões corretas? Decisões.


Essa vida!
Ela realmente prega peças na gente. Acho que o grande lance é acordar antes de dormir pra sempre né? Talvez eu me encaixe nessa análise. Esse talvez vem com um pouco de medo de saber que fez a escolha errada. 
Mas hoje eu senti essa sensação. De estar fazendo tudo errado. De estar no lugar errado, de ter escolhido a profissão errada, de ter feito escolhas erradas. Calma, só estou falando da minha vida profissional.

Analisando as lembranças, vi um adolescente da oitava série escrevendo uma crônica sobre um poeminha de Drummond "A flor e a náusea". O professor ficou fascinado com a métrica natural. Pediu pra tirar uma cópia e mostrar nas outras turmas. Consenti.


Anos depois na Escola Técnica de Alagoas, minha professora de Português Alice, pediu pra mostrar uma redação minha em outras turmas e confessou que nunca tinha visto um aluno escrever daquela forma. Respondi na minha imaturidade: "Talvez eu seja o último romântico, dos litorais desse oceano Atlântico..." Ela riu.


Ainda na ETFAL fiz um curso de férias de redação. Outra professora (não recordo o nome) solicitou que um dos exercícios fosse em análise ao ambiente externo à sala. Retornei com um texto sobre o que estava vendo e sentindo, sentado no meio-fio que circulava uma árvore, num ambiente gostoso de olhar, a área de estacionamento da Escola que possuía inúmeras árvores frondosas contrastando com a rua onde os carros passavam apertados e lançando a fumaça de presente para nós. Outra surpresa ao ler minha ideia de mundo.


Assim prossegui, escrevendo de uma forma que eu também gostava. As palavras saiam e acho que ainda saem de mim de forma sincera e digamos....envolvente. 


Mas fui sendo levado aos poucos para a área web. Crio sites e dou consultoria em Marketing Digital, mas confesso que hoje, justamente hoje, estou me questionando. 


Posso?