quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Colcha de retalhos, quem poderá me defender?


Na minha singela opinião, um dos maiores problemas na produção de um site...é o próprio site.
Quem nunca se perguntou "o que é que eu vou colocar aqui nesse espaço?" que atire o primeiro mouse, digo, a primeira pedra...

E olhe que não é difícil se deparar com essa situação. Mesmo os profissionais mais experientes já passaram e ainda podem passar por isso.

Sabe porquê? Não???? Vou te dizer, pequeno gafanhoto...

É aquela famosa conversa com o cliente que pode te salvar. Sim, o que vale é o amadurecimento da idéia. Tem que esgotar as possibilidades. Lembrando sempre de que "quem entende do negócio de seu cliente é ele mesmo e de web quem é? Isso mesmo, você meu caro Jedi".

Quanto mais perguntas são feitas, mais possibilidades de tornar o site recheado de conteúdo aumenta.

Ops, cuidado com a usabilidade viu?

Uma boa prática de preencher os espaços vazios de um site é se colocar como usuário daquele site. O que aquele usuário gostaria de encontrar na capa do site? O cliente pode ajudar nisso, mas tome cuidado porque ele irá querer colocar TODO o conteúdo do site na index. Se possível, "piscando".

Organize o conteúdo do site por categorias e sub-categorias. Eu sei, você já sabe disso. Mas acontece que quando a gente trabalha muito, muitas coisas ficam esquecidas e quando você percebe...ja sabe né? O site tá aquela colcha de retalhos.

Quando desenvolvi a intranet da Sefaz, um dos desafios foi justamente organizar todo o conteúdo. Deu trabalho viu? Visitar setor por setor, ouvir cada gestor, desenvolver a Arquitetura da Informação, foi uma experiência muito gratificante.

O segundo passo foi organizar cada item em cada setor e sub-setor, categoria e sub-categoria de forma à atender as necessidades dos usuários internos. Estudei detalhadamente a disposição de cada item a ser disponibilizado nela.

Com esses dados em mãos comecei o layout. Tive, claro, o máximo de cuidado de tornar a navegação intuitiva, foi trabalhoso, mas empolgante. Chega me arrepio de lembrar...que coisa boa foi aquilo velho....

O final foi gratificante.

Demais até.

Ver a intranet no ar, funcionando de forma agradável (mesmo sendo toda em html) foi muito bom. Calma, calma, deixa eu explicar... Na época, o tempo foi escasso e não dava tempo de estudar um CMS de forma que ele atendesse às necessidades do layout, por isso a escolha do html.

Com toda a estrutura pronta e navegável, a ação secundária seria tornar toda a intranet dinâmica já que a inteção maior era a de permitir que cada gestor alimentasse sua página. Mas meu tempo lá acabou e não pude dar continuidade.

Reza a lenda que ela continua funcionando dois anos e meio depois. Bom, ao menos eu recebi bastante elogios do usuário final que nevegava tranquilamente no mar da intranet da Sefaz.

Fiquei todo ancho. Posso ficar né? ;)

Abraço a todos e por favor galera, comentem....preciso do feedback de vocês.

Nenhum comentário: